O que é Shibari? Conheça o fetiche por amarrações!

Shibari é um termo originário do japonês que significa “amarrar” ou “ligar”. A partir do século XX, esse termo começou a ser associado a uma das práticas eróticas presentes no BDSM – bondage, disciplina, dominação, submissão, sadismo e masoquismo.

De forma básica, o shibari utiliza cordas e amarrações para prender o parceiro em diferentes posições.

Aliás venha conhecer mais sobre essa prática e suas técnicas básicas com a Gall Sex Shop. Aproveite também para explorar nosso conteúdo sobre as diferenças entre sadismo, masoquismo e sadomasoquismo!

Mas afinal, o que é o shibari e qual sua origem?

O shibari nasceu no Japão Feudal e foi inspirado no hojojutsu, uma prática que surgiu no período Edo, onde os samurais amarravam os criminosos com cordas para restringir seus movimentos e evitar fugas.

Atualmente, essa é uma prática ligada a arte erótica que se expande, cada dia mais, para outras vertentes performáticas.

De forma geral, a prática do shibari está focada no apelo visual e sensual que as cordas oferecem, e em sua premissa básica, existem sempre duas partes que participam da interação: primeiramente temos o “dorei”, que é a pessoa que se submete às amarrações e se torna a figura submissa da prática. Depois, temos a figura que realiza as amarrações e desempenha o papel de dominação.

Um elemento muito importante do shibari são as cordas, e também existem alguns detalhes importantes sobre elas para prestar atenção: normalmente, as cordas têm de 6 a 8 metros de comprimento e fibras naturais, os praticantes mais assíduos preferem as de juta, pelo seu custo-benefício, mas também é possível apostar em cordas de algodão, bambu e coco.

Assim como as cordas, as tesouras de ponta romba são essenciais para garantir a segurança durante a prática do shibari. 

Embora o shibari esteja relacionado ao BDSM, ele também pode ser visto como uma performance artística e sensorial. A dinâmica da imobilidade e da privação desperta os mecanismos de defesa e libera neurotransmissores totalmente ligados ao prazer, como a endorfina e a dopamina.

Como começar a praticar o shibari?

Explorando Shibari: A Arte Sensual das Amarrações Eróticas

Iniciando na Prática do Shibari

Existem diferentes formas de começar a praticar o shibari, pois essa é uma técnica de BDSM aberta a variações, intensidades e diferentes experiências. Se preferir se iniciar pela observação, você pode encontrar bares, eventos e casas noturnas com práticas públicas de shibari, ótimos para despertar sensações de desejo e coragem.

Escolha das Cordas

O primeiro passo no shibari são as cordas.  É importante entender quais sensações você deseja experimentar durante a prática, considerando sons, texturas e torções, bem como o consentimento e os limites de todos os envolvidos.

Confiança e Comunicação

A confiança é indispensável na prática do shibari, pois a pessoa amarrada cede às vontades do dominador. Entretanto, acordos pré-estabelecidos garantem que a imobilidade e as sensações ofereçam prazer a todas as partes. Trocas de experiências, leituras e estudos sobre a prática são essenciais para segurança.

Regras de Segurança

  • Evitar Áreas Perigosas: Não amarrar as cordas ao redor do pescoço e da cabeça.
  • Cuidados com as Mulheres: Passar a corda acima ou abaixo dos seios.
  • Sinais de Alerta: Desatar os nós imediatamente se a pessoa amarrada sentir formigamento, tontura ou claustrofobia.
  • Monitoramento da Saúde: Verificar a cor e a temperatura da pele para evitar restrições na circulação.

Duração da Sessão

Portanto o tempo da sessão de shibari pode variar de minutos a até uma hora, dependendo das amarrações e posições.

Pós-Sessão

O descanso após as amarrações é indispensável para intensificar as sensações.

Não deixe de conferir as cordas para shibari que a Gall oferece!

Shibari Desvendado: Descubra o Fetiche por Amarrações e Intimidade
Shibari Desvendado: Descubra o Fetiche por Amarrações e Intimidade

6 técnicas básicas de amarração para o shibari

As amarrações podem ser feitas de diferentes formas, mas existem algumas etapas essenciais.  na imobilização do tronco da pessoa amarrada, no papel das nádegas e da barriga nas amarrações, e na fixação total do corpo.

Portanto iremos lhe ajudar a iniciar no shibari, separamos 6 técnicas de amarrações para você conhecer e testar. Vamos lá?

Ushiro:Técnica onde as mãos da pessoa submissa são amarradas atrás das costas.

Matanawa: aqui, a corda é posicionada estrategicamente nas áreas genitais da ou do dorei;

Desvendando Shibari: Uma Jornada pelos Laços do Prazer e da Submissão
Desvendando Shibari: Uma Jornada pelos Laços do Prazer e da Submissão

Tsuri: essa é a técnica da amarração com suspensão do corpo no ar;Gote Gasshou: utilizando a corda, a amarração é feita com as mãos nas costas em posição de oração;

Hishi: essa amarração cria formatos de diamantes no corpo;

Takate-kote: por fim, a clássica amarração centralizada no tronco

O shibari é uma prática que, a cada dia mais, vem se difundindo no Brasil como a mescla perfeita entre arte e sensualidade e um fetiche muito aclamado pelos praticantes do BSDM.

Se você ficou curiosa para experimentar esses e outros tipos de fetiche, não deixe de conhecer também nosso conteúdo sobre o assunto. Aproveite para conferir também nossas opções de cordas. Nos vemos no próximo post!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Saiba mais

Política de Privacidade