Cuckold: o que é? Saiba tudo sobre esse fetiche!

4 dicas para começar a praticar o cuckold com seu marido (sua mulher) ou namorado (a)

O nome cuckold é estranho para você? Saiba que a tradução literal desse fetiche é mais conhecida do que se imagina. O cuckold é associado à pratica – mais comum entre os homens – de sentir desejo por ser corno. Em um primeiro momento, essa vontade pode até ser interpretada como algo estranho, mas a prática do cuckold é uma das que mais cresce no Brasil.

O nome dessa atividade faz referencia aos relógios cucos e ao próprio pássaro que inspirou esse mecanismo. Na natureza, o pássaro cuco sai de casa para viver sua vida e volta horas depois, e durante esse tempo, a fêmea da relação busca outros ninhos para chocar seus ovos. Pois é, e o que sempre foi motivo de chacota, hoje em dia se tornou razão de prazer e felicidade sexual para inúmeros casais.

Quer conhecer mais sobre a prática e descobrir como ela pode ser realizada? Confira as informações que a Gall separou para você!

Desvendando o Cuckold: Explorando um Fetiche Sexual Complexo
Desvendando o Cuckold: Explorando um Fetiche Sexual Complexo

O que é o cuckold?

De forma objetiva, cuckold é o fetiche em que um homem em uma relação monogâmica sente prazer ao ver sua parceira transando com outras pessoas. O prazer está no conhecimento de ser corno, o que não é um problema, mas sim o objetivo.

Esse fetiche está no universo masoquista, onde o “sofrimento” vem da infidelidade desejada, que pode ser acompanhada de várias formas. Alguns preferem apenas saber o que aconteceu, enquanto outros gostam de acompanhar remotamente por ligações, vídeos ou mensagens. Há também os que preferem estar presentes no ato, semelhante ao voyeurismo.

Além disso, o cuckold pode incluir privação, uma prática masoquista. Alguns casais usam cintos de castidade, impedindo a masturbação do parceiro, que assiste ao ato.

Como o fetiche pode ser praticado?

Assim como qualquer fetiche, o cuckold não exige uma serie de regras para ser práticado, mas para te ajudar a entendê-lo melhor, existem algumas informações sobre o ato em si que podem fazer muita diferença para quem está o conhecendo agora. Um primeiro ponto muito importante é que, apesar de parecer estranho para quem olha de fora, o cuckolding não é visto como uma traição dentro de sua comunidade.

Para praticar o fetiche com seu parceiro, muitos casais estabelecem objetivos que precisam ser cumpridos para que as duas partes aproveitem ao máximo dessa experiência, e se você está pensando em conversar sobre ela com seu namorado ou marido, certas ideias podem te inspirar.

Alguns casais combinam toda uma encenação para que o homem pegue a mulher na cama com outro “de surpresa” ao chegar de um compromisso. Existem também aqueles casais que buscam por uma terceira pessoa fixa para praticar o cuckold, e ele acaba se tornando parte fundamental da sensação de prazer que as duas partes do casal sentem por aquele ato.

É possível, inclusive, que o marido ou namorado participe junto com a esposa “infiel” e seu “amante” do ato sexual desde o inicio ou só depois dela gozar. Como nós já mencionamos por aqui, esse fetiche não exige regras de funcionamento para o prazer, a única exigência que deve ser respeitada é que todas as partes estejam cientes e confortáveis do papel que desempenham naquela relação, afinal, com consentimento, todo prazer é bem-vindo!

Cuckold: Entre Humilhação e Prazer, Tudo o que Você Precisa Saber
Cuckold: Entre Humilhação e Prazer, Tudo o que Você Precisa Saber

Dicas para começar no cuckold!

Gostou do que leu até aqui e está pensando em conversar com seu parceiro (a) sobre o fetiche? Preste atenção nas respostas que ele da para entender se ele também se interessa ou não em participar de algo do tipo. Caso as conversas sejam positivas, temos aqui 4 dicas para começar a praticar o cuckold com seu marido (sua mulher) ou namorado (a), vamos lá?

1. Comece estabelecendo limites

Mesmo que o cuckold não tenha regras estabelecidas para sua prática, é importante definir limites entre o casal para que ela se torne uma ideia prazerosa e divertida para ambos.

Desde a primeira conversa com seu parceiro é importante  registrar até onde vocês se sentem confortáveis em ir e quais ações extrapolam essa barreira. Assim como em qualquer situação, a comunicação é fundamental para que o fetiche funcione!

2. Não abra mão da confiança no relacionamento

O cuckold não se configura como uma traição para os casais que o praticam, e se a conversa com seu parceiro começou a pender para esse lado, talvez não seja o melhor momento para adentrar nesse universo. Essa é uma alternativa para apimentar a relação e trazer uma sensação de adrenalina e aventura para o casal, e enquanto ela se manter nessa vibe, pode ter certeza que está valendo a pena.

3. Escolham juntos a terceira pessoa

Essa é uma etapa essencial para construir confiança na prática, por isso, sugira para que vocês escolham juntos a pessoa que vai interpretar o papel de outro na relação. E não tenha medo de sugerir aquele cara bonitão ou uma mulher gata, afinal, a humilhação faz parte da sensação de prazer que seu marido (esposa) ou namorado (a) vai sentir, por isso, o (a) “amante” precisa estar a altura dele!

Cuckold: Uma Profunda Exploração de Desejos e Fantasias Sexuais
Cuckold: Uma Profunda Exploração de Desejos e Fantasias Sexuais

4. Aposte nos brinquedos sexuais para explorar as sensações

Além do cinto de castidade que já mencionamos aqui, vale a pena explorar outros sex toys para deixar a prática ainda mais excitante. Algemas e vendas também são ótimas opções para quem prefere somar ao cuckold a restrição de movimentos. Imagine seu marido ou sua esposa apenas ouvindo você sentir prazer com outro (a) sem poder fazer nada? Tenho certeza que ele ou ela vai pirar!

Você também gosta da sensação de restrição de movimentos? Venha conhecer tudo sobre o shibari com a Gall!

O cuckold pode até parecer estranho para quem não o conhece, mas ele nada mais é do que uma alternativa para quem busca relações sexuais com mais adrenalina e aventura. Por isso, se você ficou curiosa (o), aproveite as dicas da Gall e comece a falar sobre a prática com seu parceiro (a). Aproveite o tema e confira também nosso conteúdo sobre os principais tipos de fetiche!

você pode gostar também
1 comentário
  1. Cristiano Jacó Trein Diz

    Desisti totalmente deste fetiche ou fantasia a partir de hoje dia 21 08 2022 e nunca mais quero houver nessa fantasia sexual.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Saiba mais

Política de Privacidade